História
1. Abordar temas centrais de História Medieval, com ênfase no período que estende entre os séculos V e X, a que se convencionou chamar “Alta Idade Média”. 2. Estabelecer os pressupostos para a articulação entre as esferas política, cultural, econômica e das ideias. 3. Refletir a respeito das representações nas sociedades medievais, considerando a percepção que indivíduos e grupos têm sobre si mesmos e aquela que constroem a respeito do outro. 4. Familiarizar os alunos com os principais problemas historiográficos inerentes ou relacionados àquele período. 5. Desenvolver uma discussão metodológica, de forma a viabilizar a familiaridade com o instrumental da pesquisa bem como a autonomia em sua prática. 6. Capacitar os alunos para as práticas pedagógicas nos níveis fundamental e médio, por meio da elaboração de planos de aulas e organização e apresentação de seminários. 7. Fornecer instrumental para que os alunos produzam materiais para o ensino nos níveis fundamental e médio, a partir do contato crítico com as problemáticas e de sua filtragem para uma produção dirigida a um público específico. 8. Desenvolver os pressupostos da pesquisa em História por intermédio da leitura e da análise de documentos, bem como da produção de textos historiográficos. 9. Promover o contato com a bibliografia a respeito dos temas propostos, buscando favorecer o elemento da crítica nas leituras.

Israel e Judá

sociedade, política e cultura

 I - Objetivos:Nos últimos trinta anos, a historiografia e a arqueologia dos antigos reinos de Israel e Judá passaram por uma transformação profunda. A história tradicional, dependente da narrativa bíblica, foi contestada e amplamente superada por novas perspectivas que buscaram inserir a história de Israel no contexto das realidades do Próximo-Oriente, bem como pela adoção de abordagens teórico-metodológicas já correntes na própria historiografia e nas demais ciências sociais. Por sua vez, a arqueologia bíblica, que subordinara a análise da cultura material à ilustração e comprovação do texto bíblico, cedeu lugar a uma nova arqueologia da região siro-palestina, que elabora suas próprias questões históricas e oferece técnicas e conceitos inovadores para tratá-las. O curso busca oferecer um quadro atualizado da história dos reinos de Israel e Judá e do período que antecedeu à sua formação, em consonância com as abordagens e debates recentes. Ao mesmo tempo, propõe aproveitar o estudo de caso como um campo laboratorial para a aquisição e aperfeiçoamento das ferramentas analíticas fundamentais na formação do historiador. Dar-se-á, para tanto, grande ênfase ao trabalhos dirigidos de interpretação de fontes, textuais (bíblicas e extra-bíblicas) e materiais (artefatos, iconografia etc.).

 

II - Conteúdo programático

 

1) Aspectos teórico-metodológicos

- Uma “história normal”: possibilidades e limites

- Debates e tendências: minimalistas, maximalistas e além

- Documentação textual 1: com ou sem a Bíblia?

- Documentação textual 2: fontes extra-bíblicas

- Cultura material: da arqueologia bíblica à nova arqueologia siro-palestina

2) Israel e Judá no contexto próximo-oriental

- A crise do Bronze Tardio na Palestina: pequenos reinos entre grandes potências (Egito, Hatti, Mitani e Mesopotâmia)

- Obscuras origens: êxodo e conquista ou evolução interna?

- Reino unificado ou chefias locais?

- Mitologia e religião: Canaã e o politeísmo na Bíblia (o aporte da documentação de Ugarit e da Mesopotâmia)

- O reino de Israel e o império assírio

- Interregno: reforma política e centralização do culto

- O reino de Judá e a expansão babilônica

- O exílio babilônico e a formação do corpusbíblico

- O monoteísmo e as transformações na figura divina de Yahweh 

(em perspectiva comparativa com Marduk, da Babilônia)

- Os judaítas na Babilônia e na época persa: dados recentes da documentação cuneiforme

e-Disciplinas - Ambiente de apoio às disciplinas da USP