Esta disciplina tem por objetivo discutir questões teóricas e desafios da mensuração empírica para uma reflexão crítica sobre a (des)construção de preconceitos e discriminações com base em marcadores sociais da diferença. Pretende focar a produção e reprodução psicossocial de perspectivas morais que sustentam atitudes e comportamentos misóginos, racistas, lgbtfóbicos e de intolerância a diferenças no Brasil contemporâneo. Através da abordagem de marcadores de gênero e sexualidades, étnico-raciais, de classe social, de religiosidades e geracionais, propõe problematizar a tensão entre os ideais universalistas de igualdade e dignidade, expressos na DUDH, e a demanda multiculturalista por reconhecimento de direitos a identidades fragmentárias e interseccionais que aflora na modernidade tardia. São objetivos deste curso: 1) Apresentar abordagens de correntes da psicologia social e de teorias políticas normativas para o enfoque da moralidade; 2) Mapear pesquisas sociais empíricas a partir do intento de mensuração de manifestações de preconceitos e discriminações; 3) Discutir os impasses teóricos e políticos entre perspectivas interseccionais e projetos de desconstrução identitária.

e-Disciplinas - Ambiente de apoio às disciplinas da USP