A disciplina propõe tratar da consolidação da modernidade e do contemporâneo em Portugal, lançando luz a um século de poesia. Inicia, portanto, com a discussão sobre lírica moderna, com Cesário Verde, Camilo Pessanha e Mário de Sá-Carneiro, e avança para o segundo modernismo e para a contemporaneidade, com leitura e análise de obras de Carlos de Oliveira, Herberto Helder, Eugénio de Andrade, Sophia de Melo Breyner Andresen, Ruy Belo e Luís Quintais. Questões teóricas como: fragmentação do eu e intimismo, linguagem e comunicabilidade, imagens e ekphrasis, palavra/imagem, diluição de fronteiras (estéticas, de gêneros literários), modernidade, tradição e ruptura serão consideradas.

e-Disciplinas - Ambiente de apoio às disciplinas da USP