Música clássica no Brasil: fenômeno de transplantação

Por falta de uma história própria, a classe dominante brasileira[4] sempre recebeu as ideias europeias fora do contexto, utilizando-as como mera ostentação ornamental; e as classes populares ficaram responsáveis pelo aspecto criativo[5], com um ceticismo em relação aos dogmas bem traduzido pelo verso de Leminski[6]: "Distraidos venceremos" (1983); e nas letras de alguns sambas como Caviar, de Zeca Pagodinho (2002).