Programação

  • Tópico 1 - Aquisição de linguagem

    Este semestre, o tema da aquisição da linguagem dará mais ênfase ao modelo gerativo (chomskyano) porque muitos alunos não tiveram a oportunidade de conhecer esta importante teoria no primeiro semestre, devido à greve. Portanto, o enfoque das quatro primeiras aulas será a Competência Linguística.

    AULA 1 - 20 de agosto (2ª)

    Introdução geral à aquisição: modelos e fenômenos.

      • Leitura: 
        • SANTANA, Raquel Santos, ”Aquisição”, em FIORIN, J. L. (org.), Introdução à linguística 1


    AULA 2 - 22 de agosto (4ª)

    Introdução à competência linguística.

      • Leitura:

        • Negrão, Scher e Viotti, “Competência linguística”, em: FIORIN, J. L. (org.), Introdução à linguística 2


    AULA 3 - 27 de agosto (2ª)

      • Leitura:
        • Negrão, Scher e Viotti, “Competência linguística”, em: FIORIN, J. L. (org.), Introdução à linguística 2


    AULA 4 - 29 de agosto (4ª)

      • Leitura:

          • Negrão, “A natureza da linguagem humana”, em: FIORIN, J. L. (org.), Linguística? Que é isso?São Paulo: Contexto, 2013: 75-109.

    • 2 - SINTAXE

      Introdução à análise sintática ao modo gerativo.

      AULA 5 - 10 de setembro (2ª)

        • Leitura:
          • KENEDY, "Introdução á linguística gerativa", Caps. 1 & 2

      AULA 6 - 12 de setembro (4ª)

        • Leitura:

          • KENEDY, "Introdução á linguística gerativa", Caps. 3, 4, 5

      AULA 7 - 17 de setembro (2ª)

        • Leitura:
          • KENEDY, "Introdução á linguística gerativa", Caps. 6, 7

      AULA 8 - 19 de setembro (4ª)

        • Leitura:
          • KENEDY, "Introdução á linguística gerativa", Caps. 8, 9, 10

    • Tópico 3- Variação e Mudança Linguística

      Aula 1 - 24 de setembro.

      • Leitura:
        • BELINE, Ronald. "A variação linguística", em: FIORIN, J. L. (org.), Introdução à linguística 1. Objetos teóricos. São Paulo: Contexto, 2002 (5ª ed., 2ª reimpr., 2008).

      Aula 2 - 26 de setembro.

      • Leitura:

        • CHAGAS, Paulo. "Mudança linguística", em: FIORIN, J. L. (org.), Introdução à linguística I. Objetos teóricos. São Paulo: Contexto, 2002 (2010): 141-164.

      Aula 3 - 1º de outubro

      • Leitura:
        • COSERIU, Eugenio, "Capítulo VII. Sincronia, diacronia e história", em: COSERIU, E., Sincronia, diacronia e história. O problema da mudança linguística. Tradução de Carlos Alberto da Fonseca e Mário Ferreira. Rio de Janeira: Presença, 1979.

      Aula 4 - 3 de outubro

      • Leitura:
        • GABAS JR.,Nélson, "Linguística histórica", em: MUSSALIM, F. e BENTES, A. C. (orgs.), Introdução à linguística 1: Domínios e fronteiras. São Paulo: Cortez, 2000: 77-104.


    • Primeira Prova

      ---- 14 de outubro ---

      **** Primeira prova ****


      A prova será composta de quatro questões, ou seja, uma questão para cada tópico abordado durante o primeiro bimestre. Os temas cobrados serão: 

      • Aquisição
      • Sintaxe
      • Variação e Mudança Linguística


      A avaliação do curso

      1. A avaliação no curso de Elementos de Linguística II é feita por duas provas. A média final é calculada pela suma das notas dessas provas, dividida por dois. 
      2. Para passar o curso, sua média final tem de ser igual ao acima de 5,0. 
      3. Quem tirar média final entre 3,0 e 4,9 terá o direito de fazer a prova de recuperação. Quem tirar média final de 2,9 para abaixo será reprovado.
      4. A nota da prova de recuperação será sua média final, substituindo qualquer outra nota anterior. A nota de corte para passar na recuperação é de 5,0.

      A prova e a correção

      1. As questões cobrarão uma mistura de habilidades analíticas práticas e conhecimento de conteúdos teóricos.
      2. A prova será sobre 10. Cada questão da prova valerá 2,5 e, com a exceção de quando for indicado de forma diferente no enunciado, a correção considerará 0,25 por cada argumento pertinente numa resposta dissertativa, até o máximo de dez (igual a 2,5). 
      3. Seu objetivo na prova deve ser de exibir seu conhecimento ao máximo. Você deve procurar escrever o máximo que puder, explicando os termos técnicos usados, justificando suas afirmações e exemplificando suas respostas sempre. Pense que uma resposta mínima será de dez sentenças, no caso em que cada sentença expressar pelo menos um argumento relevante, explicado, justificado e exemplificado, e que responderá ao que enunciado pedir.
      4. Para passar, você terá que tirar um média de 1,25 por questão.
      5. A prova durará noventa (90) minutos. Portanto, o tempo médio por cada resposta será de 22 minutos e 30 segundos. Se você deixar 2 min. 30 sec. para se preparar (analisando o enunciado e organizando suas ideias), você terá VINTE MINUTOS para escrever cada resposta. 
      6. Como não haverá muito tempo para redigir sua resposta, é recomendável não escrever primeiro a lápis para depois rescrever a tinta. É preferível riscar erros ou usar fluído corretor, por ser mais rápido.
      7. VOCÊ DEVE EVITAR AO MÁXIMO DEIXAR UMA QUESTÃO EM BRANCO. 

      • Tópico 4 - Semântica

        Familiarizar o estudante com os principais noções do embasamento teórico da semântica formal e lexical -  o impacto do pensamento estruturalista na semântica. Introduzir algumas análises e fenômenos típicos da área.


        Aula 1 - SEMÂNTICA FORMAL

        • TÓPICOS: Introdução à semântica formal, denotações e referencialidade, relações semânticas no nível da palavra e no nível da sentença (descrições definidas, predicação de propriedades), condições de verdade, sentido e referência, conhecimento a priori e a posteriori, sentenças analíticas e sintéticas, o paradoxo de Electra (contextos opacos/intensionais Vs contextos extensionais).
          • LEITURA:
            •  MÜLLER, A. L. de Paula & VIOTTI, E., "Semântica formal", em: FIORIN, J. L. (org.), Introdução à linguística II. Princípios de análise. São Paulo: Editora Contexto, 2003 (4ª edição, 3ª impressão, 2010: pp. 137-149.
            • CANÇADO, Márcia. "Referência e sentido", em: ______, Manual de semântica. Noções básicas e exercícios. São Paulo: Editora Contexto, 2012: pp. 87-102. 


        Aula 2 - SEMÂNTICA FORMAL.

        • TÓPICOS: Acarretamento e pressuposição (hiponímia e hiperonímia proposicional), sinonímia e paráfrase, contradição, ambiguidade, dêixis e anáfora, escopo.
          • LEITURA: MÜLLER & VIOTTI, 2010 [2003]: pp. 145-156.
          • LEITURA: CANÇADO (2012):
            • "Hiponímia, hiperonímia e acarretamento", pp. 32-36 .
            • "Pressuposição", pp. 37-45.
            • "Outras propriedades semânticas", pp. 47-63.
            • "Os vários significados das palavras", 65-66.
            • "Ambiguidade vs. Vagueza", pp. 66-69.
            • "Ambiguidade de escopo", pp. 78-79.

        • Aula 3 - SEMÂNTICA LEXICAL.

          • TÓPICOS:  
            • As tradições lógico-gramatical e retórico-hermenêutico,
            • Semântica referencialista e o triângulo semiótico,
            • O signo linguístico saussureano e hjelmsleviano, 
          • LEITURAS:
            • PIETROFORTE, Antônio Vicente Seraphim & LOPES, Ivã Carlos, "A semântica lexical", em FIORIN, José Luiz (org.), Introdução à linguística II. Princípios de análise. São Paulo: Contexto, 2003 (4ª ed., 3ª impr., 2010): pp. 111-118.
            • COLLADO, Jesús-Antonio, "VIII. Forma e substância na língua", em: ______, Fundamentos de linguística geral. São Paulo: Martins Fontes, 1980 (1ª ed., Madri: Gredos, 1973): pp. 215-240.


          Aula 4 - SEMÂNTICA LEXICAL.

          • TÓPICOS:
            • Análise sêmica/componencial.
            • Relações lexicais: sinonímia, antonímia, hiponímia/hiperonímia, homonímia,  paranomásia, polissemia, metáfora.
          • LEITURAS: 
            • PIETROFORTE & LOPES (EM: Fiorin), pp. 118-134.
            • CANÇADO, M. Manual de Semântica
              • "Tipos de ambiguidade", pp. 70-76.
              • "Prototipos e metáforas", pp.123-140.

      • Tópico 5 - Pragmática

        Introduzir os principais aspectos da pragmática de Austin, Searle e Grice e familiarizar o estudante com os principais aspectos da pragmática da enunciação.

        PRAGMATICA AUSTINIANA

        Aula .

        • TÓPICOS: 
          • Relações entre a estrutura da linguagem e seu uso,
          • Enunciação,
          • Inferências,
          • Instruções de interpretação.
          • Atos de fala performativos e constativas.
          • Condições de verdade e condições de enunciação.
          • Atos performativos explícitos e implícitos.
          • A visão performativas da linguagem: os atos locionário, ilocucionário e perlocucionário.
        • LEITURAS:
          • FIORIN, José Luiz, "A linguagem em uso", em: FIORIN, J. L. (org.), Introdução à linguística I. Objetos teóricos. São Paulo: Contexto, 2003 (4ª ed., 3ª impr., 2010), pp. 165-175.
          • CANÇADO, Márcia, "Parte IV: Fenômenos do significado e a abordagem pragmática", em: ______, Manual de Semântica. Noções básicas e exercícios. São Paulo: Contexto, 2012, pp. 143-149.


        Aula .

        • TÓPICOS: 
          • A polidez e a teoria das faces.
          • Máximas conversacionais.
          • Implicaturas.
          • Pressupostos e subentendidos.
        • LEITURAS:

          • FIORIN, José Luiz,  "A linguagem em uso", em: FIORIN, J. L. (org.), Introdução à linguística I. Objetos teóricos. São Paulo: Contexto, 2003 (4ª ed., 3ª impr., 2010), pp. 175-185.
          • CANÇADO, Márcia, "Parte IV: Fenômenos do significado e a abordagem pragmática", em: ______, Manual de Semântica. Noções básicas e exercícios. São Paulo: Contexto, 2012, pp. 150-160.


        PRAGMATICA DA ENUNCIAÇÃO

        Aula - .

        • TÓPICOS:
          • A enunciação.
          • As categorias discursivas
        • LEITURAS: 
          • FIORIN, José Luiz, "Pragmática", em: Ibidem (org.), Introdução à linguística II. Princípios de análise. São Paulo: Contexto, 2003 (4ª ed., 3ª impr., 2010): 
            • "Introdução", pp. 161-162.
            • "A enunciação", pp. 162-164.
            • "3. A Pessoa", pp. 164-165.
            • "4. O tempo", pp. 165-174.
            • "5. O espaço", pp. 174-177.
          • BARROS, Diana Luz Pessoa de, "A comunicação humana", em: FIORIN, J. L. (org.), Introdução à linguística I. Objetos teóricos. São Paulo: Contexto, 2003 (4ª ed., 3ª impr., 2010). 
            • "3. Simplificação e "complementação": as propostas de B. Malmberg e R. Jakobson", pp. 27-41;
            • "4. Modelo linear e modelo circular da comunicação: a interação verbal", pp. 42-47.

        Aula .

        • TÓPICOS: discursivização das categorias enunciativas; exercícios.
        • LEITURAS:
          • FIORIN, J. L., "Pragmática":
            • "6. Discursivização das categorias enunciativas", pp. 178-179.

      • Tópico 6 - Semiótica textual: A abordagem do texto

        Aula 23 - Segunda-feira, 12 de novembro

        Leitura:

        TATIT, Luiz, "A abordagem do texto", em: FIORIN, J. L. (org.), Introdução à linguística II. Prinícipios de análise. São Paulo: Contexto, 2002 (2010): 187-209.


        Aula 24 - Quarta-feira, 14 de novembro

        Leitura:

        BARROS, Diana Luz Pessoa de, "Estudos do discurso", em FIORIN, J. L. (org.), Introdução à linguística II. Prinícipios de análise. São Paulo: Contexto, 2002 (2010): 187-219.


        Aula 25 - Segunda-feira, 19 de novembro

        Leitura:

        BARROS, Diana Luz Pessoa de, "Estudos do discurso", em FIORIN, J. L. (org.), Introdução à linguística II. Prinícipios de análise. São Paulo: Contexto, 2002 (2010): 187-219.


        Aula 26 - Quarta-feira, 21 de novembro


        • SEGUNDA PROVA

          ----  28 de novembro ---

          **** Segunda prova ****


          A prova será composta de quatro questões, ou seja, uma questão sobre cada um dos quatro temas do segundo bimestre: 

          • Semântica formal e lexical
          • Pragmática da enunciação e pragmática de Austin e Grice.
          • Semiótica.

          A avaliação do curso

          1. A avaliação no curso de Elementos de Linguística II é feita por duas provas. A média final é calculada pela suma das notas dessas provas, dividida por dois. 
          2. Para passar o curso, sua média final terá de ser de 5,0 ou mais. 
          3. Quem tirar uma média final entre 3,0 e 4,9 terá o direito de fazer a prova de recuperação que está marcada para o dia 10 de dezembro. Quem tirar média final de 2,9 para abaixo será reprovado automaticamente.
          4. A nota da prova de recuperação será sua média final, substituindo qualquer outra nota anterior. A nota de corte para passar na recuperação é de 5,0.

          A prova e a correção

          1. As questões cobrarão uma mistura de habilidades analíticas práticas e conhecimento de conteúdos teóricos.
          2. A nota da prova é sobre 10. Cada questão da prova valerá 2,5 e, com a exceção de quando for indicado de forma diferente no enunciado, a correção considerará 0,25 por cada argumento pertinente numa resposta dissertativa, até o máximo de dez (igual a 2,5). 
          3. Seu objetivo na prova deve ser de exibir seu conhecimento ao máximo. Você deve procurar escrever o máximo que puder, explicando os termos técnicos usados, justificando suas afirmações e exemplificando suas respostas sempre. Pense que uma resposta mínima será de dez sentenças, no caso em que cada sentença expressar pelo menos um argumento relevante, explicado, justificado e exemplificado, e que responderá ao que enunciado pedir.
          4. Para passar, você terá de tirar um média de 1,25 por questão.
          5. A prova durará noventa (90) minutos. Portanto, o tempo médio por cada resposta será de 22 minutos e 30 segundos. Se você deixar 2 min. 30 sec. para se preparar - analisando o que o enunciado está pedindo e organizando suas ideias -  você terá VINTE MINUTOS para escrever cada resposta. 
          6. Como não haverá muito tempo para redigir sua resposta, é recomendável não escrever primeiro a lápis para depois rescrever a tinta. É preferível riscar erros ou usar fluído corretor, por ser mais rápido.
          7. VOCÊ DEVE EVITAR AO MÁXIMO DEIXAR UMA QUESTÃO EM BRANCO. 

          e-Disciplinas - Ambiente de apoio às disciplinas da USP