Responsáveis: 
Rosa Maria Godoy Serpa da Fonseca (Nº USP 0040005). Professora Titular do Departamento de Enfermagem em Saúde Coletiva da Escola de Enfermagem da USP.
Lucimara Fabiana Fornari (Nº USP 9047899). Pós-doutoranda pelo Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da Escola de Enfermagem da USP.


PROGRAMA
Objetivos
Compreender a historicidade do conceito de gênero.
Compreender gênero como construtor do conhecimento nas ciências da saúde.
Analisar criticamente o conhecimento em saúde e em enfermagem à luz de gênero. 
Conhecer as alternativas metodológicas para as pesquisas de gênero na atualidade.
Justificativa
Justifica-se a disciplina no contexto da reflexão em saúde à luz da perspectiva de gênero como transformador do saber e das práticas de enfermagem.
Ementa
O processo histórico da construção do conhecimento. A historicidade do conceito de gênero. Gênero como construtor do conhecimento nas ciências sociais e nas ciências da saúde. Gênero, o saber e a prática de enfermagem. O uso da categoria gênero na investigação de saúde e de enfermagem: fundamentos de metodologia de investigação.
Estratégias de ensino: 
Oficina de trabalho; exposições com convidados; discussões em grupo; seminários
Avaliação
Desempenho nos trabalhos em grupo e individuais, bem como freqüência às atividades.


Objetivos:

1. Identificar as políticas estatais como instrumento do Estado; 

2. Discutir a implementação das políticas de saúde no Brasil em contraponto aos processos de produção e de reprodução social, com enfoque nas diretrizes da Atenção Primária à Saúde no Brasil; 

3. Analisar e discutir o Sistema Único de Saúde (SUS) em seus aspectos histórico, legal e organizacional; 

 4. Analisar características e desafios das Políticas de Atenção Primária à Saúde no Brasil para responder necessidades de saúde dos grupos sociais e do trabalho em saúde.


EMENTA

OBJETIVOS:

Compreender a Tipesc (Teoria de Intervenção Práxica da Enfermagem em Saúde Coletiva) como ferramenta de enfrentamento da violência de gênero e geração; Analisar criticamente as pesquisas sobre violência tendo por categoria analítica gênero e geração.

JUSTIFICATIVA:

Na Enfermagem em Saúde Coletiva, a Tipesc tem sido utilizada para propor projetos de intervenção que englobam dimensões estruturais, particulares e singulares da realidade objetiva. No fenômeno da violência, as categorias interventivas gênero e geração conseguem iluminar uma perspectiva interventiva que tem como foco o coletivo, consideradas as faces individuais que o comporta.

CONTEÚDO:

Tipesc: fundamentos e método. Categorias Gênero e geração, suas possibilidades de iluminar o fenômeno da violência doméstica ou intra-familiar.

FORMA DE AVALIAÇÃO:

Os discentes serão avaliados pelo desempenho nas atividades individuais e grupais, tais como resenhas, apresentação de seminários e participação em debates.


OBJETIVOS Promover o aprendizado de conceitos e instrumentos da Saúde Coletiva, aplicados à Atenção Básica, tomando como eixo norteador as necessidades de saúde dos grupos sociais. OBJETIVO GERAL DO MÓDULO. Propiciar o desenvolvimento e a integração de conhecimentos, habilidades e atitudes do estudante para o processo de cuidado de enfermagem, visando atenção integral e humanizada às necessidades de saúde dos usuários (pessoas, famílias e grupos) em Unidades Básicas de Saúde. IMPORTÂNCIA DESTE PROGRAMA DE APRENDIZAGEM NA FORMAÇÃO DO ENFERMEIRO, NESTE MOMENTO DO CURSO. É fundamental que se estruture, de maneira sistemática e completa, o ensino dos conceitos e instrumentos da Saúde Coletiva aplicados à Atenção Básica, de forma a fundamentar o ensino das bases do cuidado e do planejamento, implementação e avaliação da assistência de enfermagem na Atenção Básica. Além disso, esta proposta pretende ampliar o escopo do ensino dos conceitos e instrumentos da Saúde Coletiva para o cuidado aos grupos sociais, para além do cuidado aos indivíduos/famílias. SITUAÇÕES (eixos integrativos) NOS QUAIS SE FARÁ USO INTEGRADO DOS CONHECIMENTOS ADQUIRIDOS NO PROGRAMA. Os conhecimentos e habilidades desenvolvidos nos módulos “Necessidades de Saúde dos Grupos Sociais, Enfermagem como Prática Social”, “Bases para ação educativa”, “Avaliação de indivíduos e famílias” serão integrados aos conhecimentos e práticas de Saúde Coletiva, por meio da aplicação de conceitos e instrumentos de Saúde Coletiva na atenção a famílias de diferentes grupos sociais, residentes nos territórios das Unidades Básicas de Saúde. Esse conjunto de saberes possibilitará o desenvolvimento de práticas voltadas às necessidades de saúde dos grupos sociais dos territórios de práticas, a partir de projetos de cuidados a famílias. OBJETIVOS ESPECÍFICOS DO PROGRAMA X LÓGICA DOS CONTEÚDOS. I. Referentes à ação docente: 1) Possibilitar a compreensão da organização do trabalho e do modelo assistencial, a partir da discussão dos dados obtidos pela aplicação de roteiro de reconhecimento do trabalho da enfermagem na Atenção Básica, durante as atividades práticas; 2) Discutir as políticas estatais de saúde no Brasil e as diretrizes do Sistema Único de Saúde, como resposta às necessidades de saúde de grupos sociais, partindo-se das famílias residentes nos territórios de práticas; 3) Orientar a elaboração e implementação de projetos de cuidado de enfermagem para responder às necessidades de saúde de grupos sociais, a partir de projetos de cuidado às famílias. II. Referentes à ação discente: 1) Aplicar o roteiro de reconhecimento do trabalho da enfermagem na Atenção Básica durante a participação nas atividades; 2) Elaborar projetos de cuidado de enfermagem em saúde coletiva voltados a necessidades de saúde de grupos sociais, a partir das diretrizes do Sistema Único de Saúde e considerando as políticas estatais de saúde.

Coordenadoras da Disciplina: Profas. Emiko Y. Egry, Maria Amélia de Campos Oliveira e Maria Rita Bertolozzi

Desenvolver a compreensão dos conceitos fundamentais de Estatística. Ensinar técnicas de análise de dados e princípios de inferência estatística. Incentivar a aplicação desses conhecimentos e técnicas nas atividades de pesquisa ligadas ao campo da Enfermagem em Saúde Coletiva.
imagem da disciplinaPretende-se com essa disciplina levar os alunos a conhecerem os princípios de documentos científicos, bem como a estrutura dos mesmos. O foco é através da análise de documentos científicos e daqueles preparados pelos próprios alunos, levar o aluno a adquirir experiência na redação científica e na habilidade de criticar trabalhos preparados por eles mesmos e por outros. Aulas teóricas darão suporte à análise, preparação e discussão de como elaborar documentos científicos, contando com exemplos práticos de vários periódicos da área de Enfermagem. Assim o objetivo dessa disciplina é capacitar os pós-graduandos para a construção de um bom texto científico.


Imagem: @serjosoza

OBJETIVOS

1. Compreender que a investigação deve percorrer um trajeto teórico-metodológico próprio, em consonância com uma dada orientação teórico-filosófica. 

2. Conhecer os sistemas teórico-metodológicos que orientam a pesquisa em Saúde Coletiva. 

3. Conhecer os componentes básicos que estruturam um projeto de investigação em Saúde Coletiva. 

4. Proporcionar bases para a elaboração do projeto de pesquisa, considerando todas as etapas: definição do problema e objeto de estudo; quadro teórico geral e específico; questão orientadora ou hipóteses/pressupostos de pesquisa; e técnicas e instrumentos de coleta de dados mais utilizados no campo da Saúde Coletiva. 

5. Identificar os problemas mais comuns na elaboração do projeto de pesquisa e os caminhos para a sua superação.





1. OBJETIVO GERAL: Interpretar a ocorrência e o enfrentamento das doenças transmissíveis e desenvolver práticas de enfermagem voltadas às ações de vigilância em saúde, segundo o referencial teórico da Determinação Social do Processo Saúde-Doença.