Programação

  • APRESENTAÇÃO E OBJETIVOS DA DISCIPLINA

    A partir da década de 80, sobretudo no universo dos museus, passamos a conviver com as discussões em torno da chamada metodologia da Educação Patrimonial. 

    Atualmente, passados mais de trinta anos, coloca-se como necessária e premente uma discussão em torno desta área de atuação, tendo em vista a disseminação de programas, projetos e instituições que se referem à Educação Patrimonial como um campo de ação consolidado, mas com diferentes abordagens teórico-metodológicas. A partir desta constatação esta disciplina pretende:

    • Conhecer as particularidades da educação museológica;
    • Discutir os princípios teórico-metodológicos da Educação Patrimonial;
    • Refletir sobre as práticas educativas existentes no interior das instituições museológicas e
    • Propiciar um amplo panorama a respeito das principais questões que envolvem a educação em museus em diferentes áreas do conhecimento.

    • PROGRAMA DA DISCIPLINA

      1ª aula (06/08): Apresentação da proposta do curso e de seu desenvolvimento. A evolução histórica da instituição museológica.

       

      2ª aula (13/08): “Expor Para educar": aspectos históricos da questão educativa nos museus.

       

      3ª aula (20/08): A educação em museus como campo de conhecimento. (1º e 2º seminários)

       

      4ª aula (27/08): A educação patrimonial como metodologia -(3º e 4º seminários)

       

       

      5ª aula (10/09): O trabalho educativo em um Museu Virtual: Visita ao Museu do Futebol

       

       6ª aula (17/09): A educação em museus universitários: MAC, MP e MZ (USP).

       

      7ª aula (24/09): Apresentação de projetos de pesquisa de alunos do PAE: Juliana Bittencourt e Mauricio André da Silva.

       

      8ª aula (01/10): O trabalho educativo no MAE-USP. Mauricio André da Silva – MAE-USP  (5º e 6º Seminários)

       

      9ª aula (08/10): A relação museu-escola: um importante debate. (7º e 8º Seminários)

       

      10ª  aula (15/10) A educação patrimonial em projetos de arqueologia preventiva na Amazônia - Dra. Carla Gibertoni Carneiro e Ms. Mauricio André da Silva (MAE-USP)

       

      11ª aula (22/10): Projetos inclusivos em museus: visita ao Memorial da Resistência.

       

       

       12ª aula (29/10): . Análise de materiais didáticos de Educação Patrimonial

       

      13ª aula (05/11): Análise de materiais didáticos de Educação Patrimonial

       

      14ª aula (12/11): .Visita à exposição do MAE: “Resistência Já”

       

      15ª aula (19/11): Avaliação e entrega do trabalho final da disciplina.


      • METODOLOGIA

        As aulas são desenvolvidas em dois momentos. No primeiro, desenvolvo os principais pressupostos teóricos do tema em questão e, na segunda parte, os alunos apresentam seminários a partir dos textos previamente escolhidos.

        Haverá também visitas a espaços museológicos da cidade de São Paulo (Museu do Futebol e Memorial da Resistência), além de palestras com convidados externos sobre a temática educativa em museus.


        • AVALIAÇÃO

          Os alunos serão avaliados pelos seguintes instrumentos: 

          • apresentação de seminários em grupo (peso 1),
          • análise de materiais didáticos em grupo (peso 1)
          • paper a respeito de um dos temas do curso e escolhido para reflexão individual (peso 2).

          • BIBLIOGRAFIA

            AIDAR, Gabriela. Museus e Inclusão social. Ciências e Letras. Porto Alegre: FAPA, nº 31, p. 53-62.

            BRUNO, Maria Cristina Oliveira. A museologia como uma pedagogia para o patrimônio. Ciências & Letras, nº 31. Porto Alegre: 2002.

            CERQUEIRA, Fábio Vergara. Educação Patrimonial: perspectivas multidisciplinares. Pelotas: Rio Grande do Sul, 2008.

            CURY, Marília Xavier. Comunicação Museológica – Uma perspectiva metodológica da recepção. Tese de doutorado. ECA-USP, 2005.

            GOUVÊA, G. et al. (orgs.) Educação e museu: a construção social do caráter educativo dos museus de ciência. Rio de Janeiro: Acess, 2003.

            HOOPER-GREENHILL, Eilean. Los museos y sus visitantes. Gijón. Trea: 1998.

            HORTA, M.L.P. et al. Guia Básico de Educação Patrimonial. Brasília: IPHAN, Museu Imperial, 1999.

            LOPES, Maria Margaret. A favor da desescolarização dos museus. Educação & Sociedade, n.40, p.443-455, dez.1991.

            _____________________. Resta algum papel para o(a) educador (a) ou para o público nos museus? Musas. Revista Brasileira de Museus e Museologia/IPHAN, DEMU. Vol.1, n.1(2004). Rio de Janeiro: IPHAN, 2004.

            MARANDINO, Martha (org.). Educação em museus. A mediação em foco. GEENF, FEUSP, 2008.

            ________________________. Educação e museu. A construção social do caráter educativo dos museus de ciências. Rio de Janeiro: Access/Faperj, 2003.

            MENESES, Ulpiano Toledo Bezerra de. Educação e museus: sedução, riscos e ilusões. Ciências & Letras. Porto Alegre: Faculdade Porto-Alegrense de Educação, Ciências e Letras, n.27, p. 91-101, 2000.

            MORAIS, José Luiz, VASCONCELLOS, Camilo de Mello & HATTORI, Marcia Lika. Gestão Estratégica do Patrimônio Arqueológico na área de influência de gasodutos da Petrobras. (GASTAU E GASPAJ). Guia de Educação Patrimonial. MAE-USP, 2009.

            O FORMAL e o não formal na dimensão educativa dos museus. Rio de Janeiro: Museu da Vida, MAST, 2001-2002. (Cadernos do Museu da Vida)

            RAMOS, Francisco Régis Lopes. A danação do objeto: o museu no ensino da história. Chapecó: Aros, 2004.

            SANTOS, Maria Célia T. Moura. Repensando a ação cultural e educativa dos museus. 1ªed. Salvador: Universidade Federal da Bahia, 1990.

            _________________________. Encontros Museológicos – reflexões sobre a museologia, a educação e o Museu. Rio de Janeiro: MINC/DEMU, 2008.

            SOARES, André Luis Ramos (org.). Educação Patrimonial: relatos e experiências. Santa Maria: UFSM, 2003.

            TOJAL, A.P.F. Museu de Arte e público especial. Dissertação de Mestrado. ECAUSP, 1999.

            ___________. Políticas Públicas Culturais de Inclusão de Públicos Especiais em Museu. ECA-USP. Tese de Doutorado, 2007.

            VASCONCELLOS, Camilo de Mello. A função educativa de um museu universitário e antropológico: o caso do Museu de Arqueologia e Etnologia da USP. Cadernos do CEOM, Ano 18, nº 21, Junho de 2005. (Museus: pesquisa, acervo, comunicação).

            ______________________. O papel dos museus na divulgação da arqueologia no Brasil. Terra Brasilis – Pré-História e arqueologia da psique/Marcos Calia, Marcos Fleury de Oliveira (orgs.). São Paulo: Paulus, 2006.

            _____________________. Los retos de la actuación educativa en los Museos. Museos, Universidad y Mundialización. La gestión de las colecciones y los Museos Universitarios em América Latina y el Caribe. UNAL: Colombia, 2010.

            _____________________. Patrimonio, Memoria y Educación: una visión museológica. Memoria y Sociedad. Pontificia Universidad Javeriana. Bogotá, 2013.

            _______________________. O imaginário sobre o indígena: uma experiência de aprendizagem significativa no Museu de Arqueologia e Etnologia da USP. Revista Museologia & Interdisciplinaridade, v. 4, 2015.

            ___________________& SILVA, Mauricio André da. A mediação comunitária colaborativa: novas perspectivas para educação em museus. Revista ETD. FE/UNICAMP,  2018.


            ZANON, Elisa Roberta, MAGALHÃES, L.H. CASTELO BRANCO, P.M. Educação Patrimonial. Da Teoria à prática. Londrina, UniFil, 2009.


            • SEMINÁRIOS

              20/08/2018

              1) MENESES, Ulpiano Toledo Bezerra de. Educação e museus: sedução, riscos e ilusões. Ciências & Letras. Revista da Faculdade Porto-Alegrense de Educação, Ciências e Letras. Nº 27, Porto Alegre: 2000.

              2) SANTOS, Maria Célia Teixeira Moura. Museu e educação: conceitos e métodos. Encontros Museológicos- Reflexões sobre a museologia, a educação e o museu. Rio de Janeiro: Minc/IPHAN/DEMU, 2008.

            • SEMINÁRIOS

              27/08/2018

              3) CHAGAS, Mário. Diabruras do Saci: museu, memória, educação e patrimônio. Musas. Revista Brasileira de Museus e Museologia. Rio de Janeiro: IPHAN, nº 1, 2004.

              4) ZANON, Elisa Roberta, MAGALHÃES, Leandro Henrique. CASTELO BRANCO, Patricia Martins. Educação Patrimonial. Da teoria à prática. Londrina, UniFil, 2009.

            • SEMINÁRIOS

              01/10/2018

              5) VASCONCELLOS, Camilo de Mello. Los retos de la actuación educativa en los museos. Museos, universidad y mundialización. La gestión de las colecciones y los museos universitarios en América Latina y el Caribe. López Rosas, William Alfonso (Compilador).Universidad Nacional de Colombia, Bogotá, 2010.

              6) ____________________. Museus antropológicos e universitários: por um novo diálogo junto ao público. Questões indígenas e museus: debates e possibilidades. Brodowski: ACAM Portinari: MAEUSP: SEC, 2012.

            • SEMINÁRIOS

              08/10/2018

              7) TAMANINI, Elisabete & STEINBACH, Judith. “Educação e museu: construções e possibilidades interdisciplinares do saber formal e do saber não formal comunitário”. (Cap. 9). In: VASCONCELLOS, Camilo de Mello; FUNARI, Pedro Paulo; CARVALHO, Aline (orgs.). Museus e identidades na América Latina.São Paulo: Annablume /UNICAMP, 2015.

              8) ALDEROQUI, Silvia. “Museo y escuela: uma sociedade posible (entre prólogo y artículo)”.In: Museos y escuelas: socios para educar. Buenos Aires: Paidós, 1996