Ciência Política
Ajuda com Pesquisar cursos
Discutir de maneira sistemática e comparada as distintas dimensões dos sistemas políticos na América Latina. O curso revisará as principais abordagens teóricas utilizadas assim como os estudos mais importantes de análise comparada.
Países democráticos apresentam taxas mais altas de gastos sociais que países com governos autocráticos? Políticos eleitos têm maior chance de serem reeleitos? Como medir o impacto das políticas públicas? Como avaliar o comportamento eleitoral por estados e regiões? A finalidade principal desta disciplina é introduzir os alunos aos métodos utilizados na ciência política para responder a esse tipo de perguntas. Este é um curso de introdução à analise quantitativa de dados para alunos de graduação em Ciências Sociais. Espera-se que após cursar a disciplina os alunos tenham desenvolvido conhecimentos e habilidades de programação e uso de softwares para a utilização de métodos estatísticos e realização de análises a partir de dados sociais e políticos. Com vistas à formação de professores, o curso tem como objetivos específicos a) aprimorar competências e habilidades relacionadas à expressão em língua portuguesa por meio da realização de atividades de interpretação e análise de textos, imagens e vídeos, bem como de produção textual (verbal e escrita); b) explorar questões, conteúdos, materiais (textos de divulgação, filmes – documentários e ficções –, ensaios fotográficos, reportagens etc.) relacionados ao curso de forma a instrumentalizá-los na capacitação dos alunos como docentes c) estabelecer como rotina o acesso às tecnologias de informação e comunicação na interface do ensino-aprendizagem (por exemplo, uso da plataforma moodle, disponibilização de materiais em nuvem e a exposição de conteúdos com apoio de recursos multimídia.
Países democráticos apresentam taxas mais altas de gastos sociais que países com governos autocráticos? Políticos eleitos têm maior chance de serem reeleitos? Como medir o impacto das políticas públicas? Como avaliar o comportamento eleitoral por estados e regiões? A finalidade principal desta disciplina é introduzir os alunos aos métodos utilizados na ciência política para responder a esse tipo de perguntas. Este é um curso de introdução à analise quantitativa de dados para alunos de graduação em Ciências Sociais. Espera-se que após cursar a disciplina os alunos tenham desenvolvido conhecimentos e habilidades de programação e uso de softwares para a utilização de métodos estatísticos e realização de análises a partir de dados sociais e políticos. Com vistas à formação de professores, o curso tem como objetivos específicos a) aprimorar competências e habilidades relacionadas à expressão em língua portuguesa por meio da realização de atividades de interpretação e análise de textos, imagens e vídeos, bem como de produção textual (verbal e escrita); b) explorar questões, conteúdos, materiais (textos de divulgação, filmes – documentários e ficções –, ensaios fotográficos, reportagens etc.) relacionados ao curso de forma a instrumentalizá-los na capacitação dos alunos como docentes c) estabelecer como rotina o acesso às tecnologias de informação e comunicação na interface do ensino-aprendizagem (por exemplo, uso da plataforma moodle, disponibilização de materiais em nuvem e a exposição de conteúdos com apoio de recursos multimídia.
A disciplina tem a finalidade de apresentar, mediante a leitura e interpretação de fontes primárias e secundárias, uma ordem cronológica e historicamente circunscrita de textos e autores do pensamento político clássico e moderno. Adota-se como principal eixo temático a noção de república e suas relações de diálogo e contraposição com diferentes matrizes conceituais para pensar a realidade social e política. Com vistas à formação de professores, o curso tem como objetivos específicos a) aprimorar competências e habilidades relacionadas à expressão em língua portuguesa por meio da realização de atividades de interpretação e análise de textos, imagens e vídeos, bem como de produção textual (verbal e escrita); b) explorar questões, conteúdos, materiais (textos de divulgação, filmes – documentários e ficções –, ensaios fotográficos, reportagens etc.) relacionados ao curso de forma a instrumentalizá-los na capacitação dos alunos como docentes c) estabelecer como rotina o acesso às tecnologias de informação e comunicação na interface do ensino-aprendizagem (por exemplo, uso da plataforma moodle, disponibilização de materiais em nuvem e a exposição de conteúdos com apoio de recursos multimídia.

O curso tem como objetivo de introduzir o campo das Relações Internacionais e apresentar alguns dos seus mais importantes debates. A primeira parte trata das principais concepções teóricas, tanto do "mainstream" (liberalismo, realismo, construtivismo) quanto "alternativas" (marxismo, Fanon e a descolonização, abordagem pós-estruturalista). A segunda metade busca estudar alguns atores e processos da política internacional, a saber, por um lado, as empresas transnacionais, os bancos e as perspectivas imperiais, e, por outro lado, os impactos da revolução escrava do Haiti, as atividades do Wikileaks, OccupyWallStreet, dos presos de Guantanamo, movimentos feministas e de povos indígenas. Tentaremos igualmente, explorar as concepções de desigualdade, democracia, justiça, soberania, além do papel do Brasil na política mundial.

O curso tem como objetivo de introduzir o campo das Relações Internacionais e apresentar alguns dos seus mais importantes debates. A primeira parte trata das principais concepções teóricas, tanto do "mainstream" (liberalismo, realismo, construtivismo) quanto "alternativas" (marxismo, Fanon e a descolonização, abordagem pós-estruturalista). A segunda metade busca estudar alguns atores e processos da política internacional, a saber, por um lado, as empresas transnacionais, os bancos e as perspectivas imperiais, e, por outro lado, os impactos da revolução escrava do Haiti, as atividades do Wikileaks, OccupyWallStreet, dos presos de Guantanamo, movimentos feministas e de povos indígenas. Tentaremos igualmente, explorar as concepções de desigualdade, democracia, justiça, soberania, além do papel do Brasil na política mundial.
Introduzir os alunos nas questões acerca da identidade e da diferença, da desigualdade e da discriminação que são analisadas à luz da teoria política contemporânea. Procura-se articular as demandas atuais dos movimentos sociais, cada vez mais voltados às lutas por reconhecimento nas democracias contemporâneas, com a preocupação da teoria crítica em diagnosticar adequadamente tais fenômenos, avaliando-os de acordo com os limites e as potencialidades que a própria categoria do reconhecimento seria capaz de demonstrar. Deste modo, será possível avaliar criticamente a centralidade dada à categoria de reconhecimento e considerar ainda seu entrelaçamento com questões de justiça redistributiva.
O curso está voltado à formação básica dos alunos. A teoria dos jogos é uma ferramenta analítica poderosa e usada com frequência cada vez maior por cientistas sociais. O curso cobre uma lacuna.

e-Disciplinas - Ambiente de apoio às disciplinas da USP