Instituto de Estudos Brasileiros
Ajuda com Pesquisar cursos
Investir numa abordagem teórica da cidade e da estruturação do mundo urbano que tem como pressuposto que o espaço é uma das dimensões pertinentes do social. Trabalhar o conceito de urbanidade como critério e forma de explicitar (\"medir\") as cidades e o urbano. Aplicar o conceito de urbanidade para a análise e interpretação do mundo urbano no Brasil, visando identificar e tipificar a cultura e a condição urbana das cidades brasileiras.
Trata-se de discutir a história da cultura popular no Brasil, tendo em vista, particularmente, o complexo de fenômenos que envolveram, entre finais do século XIX e meados do século XX, a produção e recepção de folhetos de cordel. A compreensão dos folhetos de cordel enquanto elementos da cultura popular que dialogam constantemente, e em vários níveis, com a cultura “erudita” envolve o estudo de uma multiplicidade de aspectos sociais, políticos e culturais. Ao longo do curso, procurar-se-á debater as possibilidades e limites à construção de uma perspectiva integrada desses múltiplos aspectos, com o objetivo de pensar o contexto histórico de produção e recepção dos folhetos. Nesse sentido, promover-se-á uma introdução à leitura contextualizada de um conjunto de folhetos de cordel clássicos, anônimos ou de autores como Leandro Gomes de Barros, João Martins de Athayde e Francisco das Chagas Batista.
Trata-se de discutir a história da cultura popular no Brasil, tendo em vista, particularmente, o complexo de fenômenos que envolveram, entre finais do século XIX e meados do século XX, a produção e recepção de folhetos de cordel. A compreensão dos folhetos de cordel enquanto elementos da cultura popular que dialogam constantemente, e em vários níveis, com a cultura “erudita” envolve o estudo de uma multiplicidade de aspectos sociais, políticos e culturais. Ao longo do curso, procurar-se-á debater as possibilidades e limites à construção de uma perspectiva integrada desses múltiplos aspectos, com o objetivo de pensar o contexto histórico de produção e recepção dos folhetos. Nesse sentido, promover-se-á uma introdução à leitura contextualizada de um conjunto de folhetos de cordel clássicos, anônimos ou de autores como Leandro Gomes de Barros, João Martins de Athayde e Francisco das Chagas Batista.
O curso se propõe a desenvolver o entendimento do conto e da crônica na qualidade de gêneros narrativos breves, fundados em certos princípios próprios de composição e de recepção histórica. As idéias gerais serão formuladas a partir da discussão de alguns ensaios teóricos, mas principalmente por meio da leitura e interpretação de textos de escritores nacionais, representantes de diferentes estéticas e momentos que marcaram a literatura brasileira. O curso tem ainda a peculiaridade de se restringir a autores que escreveram nos dois gêneros, permitindo uma visão comparada de seus recursos estilísticos, conforme a destinação. Os textos literários a serem analisados encontram-se na bibliografia indicada. As aulas serão divididas em duas partes, sendo a primeira dedicada ao conto e a segunda à crônica.

e-Disciplinas - Ambiente de apoio às disciplinas da USP