Fisioterapia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional
Ajuda com Pesquisar cursos
Oferecer ao aluno condições para: - Estudar a criatividade, sua relação com o cotidiano e a cultura, sua função de integração social e o lugar que ocupa no mundo contemporâneo; - Refletir sobre a importância dos processos criativos para a promoção da saúde e para o exercício da terapia ocupacional; - Vivenciar o exercício da criatividade, através da realização de atividades artísticas (desenho, pintura, modelagem), conhecendo métodos e técnicas específicos dessas atividades e o contexto cultural no qual são desenvolvidas; - Discutir o significado das atividades propostas; - Desenvolver a leitura da expressão plástica e estética, através da experiência de apreciação dos trabalhos realizados pelo grupo e de obras de arte; - Desenvolver a prática da observação, do registro e da reflexão sobre esses recursos, sua importância para a expressão pessoal e cultural do homem.
1. Apresentar e discutir as concepções de atividade humana e cotidiano, que formam a base conceitual da terapia ocupacional em uma perspectiva crítica: atividade e vida ativa em Hannah Arendt, práxis em Sanchez Vazquez e Paulo Freire, e cotidiano, em Certeau e Agnes Heller. 2. Introduzir a noção de cuidado, produzida no âmbito da saúde coletiva, e a ideia de cuidado-de-si em Foucault, refletindo sobre o uso dessas noções nas ações da Terapia Ocupacional, que se baseiam na perspectiva da integralidade e da humanização do cuidado; 3. Apresentar e discutir os conceitos de cidadania, acesso a direitos e participação social no campo da Terapia Ocupacional e suas implicações para as ações profissionais; 4. Discutir sobre o papel técnico, ético, estético e político, a partir de uma perspectiva crítica para a terapia ocupacional, fundada no diálogo com as necessidades sociais e de saúde das populações a que se destinam suas ações profissionais. 5. Discutir o movimento da terapia ocupacional internacional - anglo-saxã, ibero-americana e sul-africana - no sentido de uma perspectiva comprometida com os direitos humanos, o respeito à diversidade e a transformação social.
- Estabelecer e discutir os fatores individuais, ambientais e da tarefa que interferem na prescrição e execução do exercício. - Analisar os vários tipos de procedimentos cinesioterapêuticos que estimulam os sistemas controladores e controlados com vistas a um delineamento terapêutico que integre os conceitos de morfologia, fisiologia, biomecânica e controle neural do movimento; - Estabelecer os princípios da aprendizagem e da integração sensório-motora com vistas a delinear estratégias terapêuticas que acelerem o processo terapêutico; - Discutir os conceitos, princípios e tipos de exercícios terapêuticos na teoria e na sua aplicação prática; - Discutir os tipos de intervenção cinesioterapêutica, suas bases teóricas e seus procedimentos práticos; - Desenvolver a capacidade de programar e executar condutas cinesioterapêuticas; - Oportunizar o treinamento das habilidades manuais e instrumentais necessárias à prática da Cinesioterapia.
I – Possibilitar ao aluno a compreensão das principais perspectivas teórico-metodológicas da Terapia Ocupacional e de seu processo de constituição histórico e social. II - Possibilitar ao aluno conhecer e refletir sobre: • as trajetórias histórico-políticas, éticas e sócio-culturais do conhecimento teórico e prático da terapia ocupacional; • referências teórico-metodológicas presentes na terapia ocupacional brasileira contemporânea.
- Aprofundar e praticar os procedimentos de avaliação e tratamento fisioterapêuticos na área de reumatologia - Desenvolver habilidades de avaliação, interpretação e elaboração de diagnóstico fisioterapêutico. - Estabelecer objetivos e condutas práticas levando em conta aspectos sociais, culturais e emocionais do paciente.
- Discutir os problemas nos modelos tecnoassistencial vivenciados - Desenvolver uma proposta de adequação/solução para os problemas identificados - Destacar modelos de serviços de saúde de excelência
I - Possibilitar ao aluno a reflexão e a compreensão dos (das): • processos de adoecimento e do cuidado, destacando-se aqueles relativos às intervenções hospitalares; • descontinuidades no viver e no cotidiano do sujeito e de sua rede social, ocasionados pelo processos de adoecimento e hospitalização, que podem vir a se agravar pelas condições de vulnerabilidade social a que estão submetidos; • norteadores teórico-metodólogicos para a assistência hospitalar a partir da perspectiva da integralidade e da humanização do cuidado; • práticas e saberes da terapia ocupacional no hospital e em seus contextos, apoiados nos princípios de uma clínica ampliada que reconhece e acolhe as necessidades singulares das pessoas sob cuidados clínicos ou cirúrgicos e de sua rede social; • desafios para a construção e fortalecimento de uma atenção hospitalar, fundada em ações de cuidado interdisciplinares, intersetoriais e em rede. II - Possibilitar ao aluno o conhecimento dos (das): • domínios, populações, quadro clínicos e espaços mais comuns nas práticas da terapia ocupacional no hospital; • dinâmicas de atendimento e abordagens próprias a cada domínio, população, quadro clínico e espaço de atendimento.
- Constatar a realidade da atuação da fisioterapia em diferentes níveis de atenção à saúde, locais e especialidades - Vivenciar as atribuições , competências e rotinas do fisioterapeuta

e-Disciplinas - Ambiente de apoio às disciplinas da USP