A disciplina tem por objetivos a apresentação de tópicos complementares à sólida formação que se requer do engenheiro civil no conjunto de disciplinas de mecânica das estruturas. Inicialmente, abordam-se os teoremas de energia, que fornecem outra via de acesso para a análise estrutural, qual seja a da mecânica analítica em contraposição à mecânica vetorial. São também a forma natural de introduzir os métodos variacionais, de larga aplicação na mecânica das estruturas. Destaque será dado ao método dos esforços. Na seqüência, apresenta-se uma introdução à teoria da plasticidade, essencial para se entender o comportamento dos materiais estruturais e das estruturas de uso corrente em engenharia civil, discutindo os critérios de resistência para materiais dúcteis, a lei de plastificação para materiais elastoplásticos perfeitos e aplicações à análise limite de estruturas de barras.Finaliza-se a disciplina com capítulo cada vez mais essencial para a formação do moderno engenheiro civil, no qual se apresenta, de forma introdutória, a dinâmica das estruturas. Entre as obras de engenharia civil que demandam análises dinâmicas mencionam-se os edifícios altos, construções industriais, pontes pênseis e estaiadas, plataformas oceânicas. O comportamento dinâmico destas estruturas não pode ser bem interpretado com raciocínios quase-estáticos simplistas. A disciplina propõe-se, assim, a apresentar os procedimentos clássicos da análise, em especial a análise modal e a análise no domínio do tempo, aplicadas a modelos de estruturas de barras, através de análise matricial.

e-Disciplinas - Ambiente de apoio às disciplinas da USP